sexta-feira, 21 de abril de 2017

Não-me-esqueças continua a proliferar no Corvo 2017

Desde 2014, ano em que começamos a produzir a rara não-me-esqueças Myosotis azorica na ilha do Corvo, depois de termos estimado a sua população em cerca de 50 plantas em redor da cumeada do Caldeirão do Corvo, temos vindo a transplantar as plantas para uma zona protegida por uma vedação (em parceria com o Parque Natural de ilha) que impede a entrada de cabras e ovelhas assilvestradas. Neste momento, estão já 35 novas plantas no local que se juntam às restantes encontradas em 2014. Plantas estas que tem vindo a contribuir para o aumento da população, assim como, para a sua dispersão.

Não-me-esqueças plantada em 2016.

Não-me-esqueças plantada em 2017.
Fotos: T.Pipa

O próximo passo é aumentar os locais de transplantação, de modo, a aumentar a distribuição da não-me-esqueças continuando assim a contribuir para a preservação desta rara planta endémica do Grupo Ocidental.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

III Atlas das Aves Nidificantes já começou nos Açores

A SPEA, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, o Laboratório de Ornitologia da Universidade de Évora, o Serviço do Parque Natural da Madeira e várias outras organizações que se juntaram ao projeto, vão avançar em 2017 com os trabalhos de campo do III Atlas das Aves Nidificantes de Portugal, que começaram nos Açores no dia 1 de abril.

Este projeto surge da necessidade de fazer-se um novo levantamento completo da distribuição e abundância das aves reprodutoras em todo o território nacional .

A tarefa é grande e difícil, mas os ornitólogos portugueses têm dado provas de conseguir o que muitos consideram impossível. Um projeto desta envergadura necessita da participação de todos os observadores de aves, profissionais e amadores, nomeadamente nas visitas sistemáticas às quadrículas, e todos estão convidados a participar!




Inscrições
As inscrições para participar como voluntário, nomeadamente nas visitas sistemáticas às quadrículas, já estão abertas. Para participar, agradecemos contacte diretamente o Responsável Regional (Rúben Coelho), ruben.coelho@spea.pt ou 914212449. Depois da inscrição será contactado para atribuição de quadrículas e envio de informação mais detalhada.

Metodologia de campo
A metodologia será baseada na apresentação dos dados em quadrículas de 10 km x 10 km e no registo das observações em tétradas de 2 km x 2 km, estando prevista a recolha de registos pontuais de nidificação (não sistemáticos), registos sistemáticos às quadrículas e, para muitas espécies serão efetuados censos dirigidos. 

Nos Açores

Nos Açores existem 18 quadriculas que ainda estão disponíveis. Se está interessado em participar e ficar responsável por uma destas quadriculas, por favor informe-nos do seu interesse.

A sua participação é muito importante! Ajude-nos também a divulgar esta iniciativa!

Reunião inicial de coordenação do projeto INTERREG LuMinAves

A SPEA Açores faz parte do recente projeto INTERREG LuMinAves que visa reduzir os efeitos nocivos da luz artificial sobre as populações de aves marinhas. Entre 5 e 7 de abril, os vários parceiros dos Açores (Direção Regional dos Assuntos do Mar, Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia) e da Madeira (SPEA Madeira e Instituto das Florestas e Conservação da Natureza-RAM, este último não esteve presente) estiveram reunidos nas Canárias com o principal beneficiário do projeto, a Sociedad Española de Ornitología (SEO/BirdLife). Participam ainda no projecto a Viceconsejería Medioambiente del Gobierno de Canarias, o Cabildo de Tenerife, o Cabildo de Fuerteventura, o Instituto de Astrofísica de Canarias, Câmara Municipal do Corvo, Empresa da Electricidade da Madeira e Electricidade dos Açores.


Nesta reunião inicial de coordenação foram discutidos os melhores métodos para levar a cabo ações como o censo das populações de aves marinhas nas colónias de cria, a criação de uma base de dados de aves marinhas encandeadas consensual para os três arquipélagos, a melhoria da rede de recolha de aves marinhas desorientadas e das infraestruturas de apoio, e a elaboração de mapas de sinistralidade e de contaminação luminosa.


Estas e outras ações serão iniciadas este ano e aguardaremos ansiosos pelos resultados!

quinta-feira, 30 de março de 2017

Voluntários plantam cerca de 700 plantas na Mata dos Bispos

No passado dia 18 de março, a SPEA organizou mais uma atividade no âmbito do Programa de Atividades para a População em Geral do Centro Ambiental do Priolo (CAP). Neste caso foi organizada uma ação de voluntariado para plantação de espécies nativas e endémicas da Floresta Laurissilva dos Açores, que teve lugar na Mata dos Bispos, na Povoação, uma das áreas de intervenção do Projeto Life+ Terras do Priolo.
 
 
A plantação nas Terras do Priolo contou com o apoio da Campanha Bosques dos Sonhos, promovida pela "Plantar Uma Árvore - Associação e Terra dos Sonhos", que como objetivo apoiar a plantação de espécies autóctones, em 8 áreas protegidas nacionais e a realização de sonhos de crianças diagnosticados com doença crónica e jovens e idosos institucionalizados.
 
Esta atividade contou com a participação de alunos do Centro Pedagógico da EBS Povoação e do Lions Clube da Divisão 11, presentes na ilha de São Miguel (LC de Nordeste, LC da Maia-Açores e LC de Rabo de Peixe). Esta atividade teve como principal objetivo sensibilizar os participantes para a importância da conservação da Floresta Laurissilva dos Açores e do Priolo.
 
 
Os 31 participantes tiveram a oportunidade de conhecer esta área de intervenção e os trabalhos desenvolvidos naquele local, tendo seguidamente iniciado a plantação com plantas cedidas pelos Viveiros de Produção de plantas nativas e endémicas do projeto Life+ Terras do Priolo.
 
No total foram plantadas cerca de 700 plantas de diversas espécies nativas e endémicas como o louro (Laurus azorica), sanguinho (Frangula azorica), folhado (Viburnum treleasei), urze (Erica azorica), azevinho (Ilex azorica), patalugo (Leontondon sp.), sargasso (Luzula purpureosplendens), queiró (Calluna vulgaris), entre outras. Na parte final da atividade foi feita uma explicação dos trabalhos e técnicas de engenharia natural aplicados na recuperação de taludes desenvolvidos nesta área da Mata dos Bispos.
 
A SPEA agradece a todos os participantes o apoio e interesse demonstrados e esperamos contar com a vossa presença nas diversas atividades que se irão realizar ao longo do ano.

Unidade LIFE Visita projeto Terras do Priolo

O Life+ Terras do Priolo recebeu nos dias 20, 21 e 22 de março a visita dos elementos da Unidade LIFE da Comissão Europeia responsáveis pelo acompanhamento do projeto na sua componente técnica e financeira.
 


 
Esta visita teve como objetivo fazer uma avaliação do andamento do projeto e dar apoio na resolução de possíveis situações identificadas no decorrer do trabalho. Ao longo dos 3 dias de visita foi possível reunirem com a equipa da SPEA responsável pelo Projeto e também com o Parque Natural de Ilha de São Miguel e visitarem várias das ações que estão a decorrer no âmbito do projeto, nomeadamente as áreas de recuperação de habitat do Priolo na Serra da Tronqueira, o viveiro do projeto para produção de plantas nativas da Floresta Laurissilva em Sto. António Nordestinho, as áreas de testes de técnicas de engenharia natural na Mata dos Bispos e o Centro Ambiental do Priolo.
 
 
 
 
No final, e apesar de algumas situações que necessitam ser revistas, o balanço foi positivo e o Life+ Terras do Priolo continua a ser um bom exemplo de implementação deste tipo de projetos em Portugal e não só. Como resultado, têm sido realizados recentemente alguns contactos para a participação em eventos organizados por outros projetos LIFE europeus.
 

SPEA promove palestras em Vila Franca do Campo e visita ao Ilhéu

A SPEA desenvolveu no dia 25 de março em Vila Franca do Campo, duas palestras de sensibilização para os alunos da Escola Profissional de Vila Franca do Campo sobre a preservação e conservação dos habitats costeiros para a conservação das aves marinhas do Ilhéu de Vila Franca do Campo.
 
Estas palestras foram desenvolvidas no âmbito de um desafio proposto aos alunos da Escola Profissional de Vila Franca do Campo para o desenvolvimento de uma exposição sobre o Ilhéu de Vila Franca do Campo - “LIFE- Ilhas Santuário para as Aves Marinhas”. Este desafio foi aceite e teve o envolvimento de 60 formandos e três formadores que ajudaram no processo criativo da atividade. As palestras tiveram um balanço positivo onde houve um espaço de participação e esclarecimento.

 

No passado dia 27 de Março de 2017, em colaboração com o Parque Natural da Ilha de São Miguel, o Clube Naval de Vila Franca do Campo e a AzoresSub, a SPEA participou numa ação de sensibilização para cerca de 60 alunos da Escola Secundária da Moita, Lisboa. Esta ação foi destinada aos alunos e professores de biologia/geologia do 12º ano daquela escola, que se encontravam de visita a São Miguel.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Visita ao Jardim de Endémicas

Em virtude do Dia da Árvore ser celebrado em Março, a educação ambiental teria que obrigatoriamente que passar por dar a conhecer e reavivar a memória dos nossos alunos sobre as plantas nativas dos Açores, e em particular as que foram plantadas no Jardim de Endémicas criado pela Câmara Municipal do Corvo (CMC). Contamos ainda com a presença do presidente da CMC que realçou a importância de preservar a flora nativa, e acrescentou que o jardim foi concebido não só com o intuito de criar mais um espaço verde mas também de dar a conhecer as espécies em si, já que só protegemos o que conhecemos.


No total foram 25 os alunos que testaram os seus conhecimentos (características e identificação das espécies) no campo sobre o sanguinho Frangula azorica, a urze Erica azorica, o pau-branco Picconia azorica, a faia-da-terra Myrica faia, a vidália Azorina vidalii, o bracel Festuca petraea, a uva-da-serra Vaccinium cylindraceum e a não-me-esqueças Myosotis maritima.